Codesp quebra novo recorde e faz projeção otimista para 2018

barreiras tarifárias
Saiba o que são barreiras não-tarifárias e como elas podem interferir no comércio exterior
Janeiro 5, 2018
COMUNICADO IMPORTANTE: honorários de despachante aduaneiro
Janeiro 22, 2018
Filtrar por: Filtrar por: Blog e Portfólio Tags Tags Blog Autores Autores Blog Exibir tudo

Codesp quebra novo recorde e faz projeção otimista para 2018

Codesp quebra recorde

A Companhia das Docas do Estado de São Paulo (Codesp) fechou o ano de 2017 com a certeza de ter quebrado mais um recorde de movimentação de cargas. A expectativa é de alcançar 129 milhões de toneladas de mercadorias movimentadas no Porto de Santos, superando em 7,7% o ano de 2015, que alcançou 119 milhões e, até então, registrava a maior movimentação da história.

 

Veja qual a importância dos acordos de livre comércio para o Brasil

 

Em comparação a 2016, os números são ainda mais favoráveis. O crescimento de 2017 foi de 13,5% em relação ao ano anterior, que chegou a 113 milhões de toneladas de cargas. E para 2018 as projeções também são positivas. A Autoridade Portuária estima que serão movimentadas, entre exportação e importação, um total de 133 milhões de toneladas de cargas, com um crescimento esperado de cerca de 3,2%.

 

A Codesp acredita que esse recorde na movimentação de cargas ocorreu por conta de um crescimento na produção nacional de grãos, que acabou superando as expectativas e contribuiu para aumentar a confiança do empresariado brasileiro em retomar os negócios.

 

Estimativa da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), divulgada no Segundo Levantamento da Safra 2017/2018 indica que a produção de grãos da safra 2016/2017 alcançou 238 milhões de toneladas, superando em 27,5% a do ano passado. Os produtos provenientes do agronegócio devem alcançar 49,5% da movimentação total de mercadorias no Porto de Santos em 2017, um aumento de 1,9% em relação a 2016.

 

Também contribuiu para esse fortalecimento a aceleração da atividade econômica de países como o Japão, a China e a Rússia, além de alguns emergentes da Ásia e da Europa, bem como da Zona do Euro. Isso suplantou o mal desempenho de Estados Unidos e Reino Unido no período.

 

Os desafios para superar em 2018 o novo recorde de 2017 são grandes, em especial pelas projeções mais tímidas quanto às safras de milho e soja, que foram o grande destaque do ano passado. Metas iniciais preveem o envio de 94,7 milhões de toneladas, um acréscimo de 1,6% e a chegada de 38,6 milhões de toneladas, um aumento de 7,4%.

 

No entanto, os números apresentados são bem vistos pela Codesp e por especialistas em comércio exterior alimentam as esperanças para um bom 2018, já que, apesar crise econômica brasileira, há sinais claros de que uma recuperação está em curso, a partir de um crescimento importante do agronegócio e da retomada da confiança do empresariado em voltar a arriscar mais, com os consumidores mais dispostos em comprar.

 

Saiba o que são barreiras não-tarifárias e como elas interferem no comércio exterior

 

Se sua empresa quer realizar novos negócios em comércio exterior, procure o time de especialistas do Grupo Flipper, que está preparado para prestar todo e qualquer auxílio que for necessário. Clique aqui e entre em contato conosco!